Google+ Followers

sábado, 5 de janeiro de 2013

FÉRIAS SAUDÁVEIS COM ALIMENTOS ORGÂNICOS


Férias saudáveis com alimentos orgânicos

    Paulo de Araújo/MMAMMA estimula produção e consumo sem agrotóxicosMMA estimula produção e consumo sem agrotóxicos
    Meta da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica é ampliar, até 2014, de 200 mil para 300 mil famílias envolvidas com produção orgânica

    SOPHIA GEBRIM

    Dias quentes e altas temperaturas marcam o verão no Brasil, período também de férias, recessos escolares e viagens ao litoral. Para aproveitar o sol e calor de forma segura, especialistas recomendam bastante água, verduras e frutas (fonte de vitaminas e sais mineiras). O consumo de alimentos orgânicos surge como aliado à alimentação saudável. Resultado de uma produção sem uso de agrotóxicos e que respeita os aspectos ambientais, sociais e culturais, hoje já é diversificada a produção: frutas, verduras, mel, cereais, farinhas e doces produzidos a partir de matérias-primas sem o uso de agrotóxicos.

    O Ministério do Meio Ambiente apoia a prática, por meio da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (PNAPO), instituída pelo governo federal em agosto de 2012. “Além da Política, estamos apoiando a formação da Comissão Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica. Também apoiamos o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) na elaboração de um Edital para assistência técnica e extensão rural, a partir de 2013, para atender 50 mil famílias para a produção de bases agroecológicas”, detalha o coordenador da Gerência de Agroextrativismo da Secretaria de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente, João D’Angelis.

    O coordenador do MMA destaca, ainda, os benefícios do consumo de orgânicos. “Esse tipo de alimento faz bem para a saúde, para a natureza e para a economia local, o que garante a sustentabilidade da produção”. Ele ressalta, ainda, que são alarmantes os dados de contaminação de alimentos por resíduos de agrotóxicos. “Estudos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) mostram que, em 2010, 75% das amostras de 18 alimentos apresentaram resíduos de agrotóxicos”.

    POLÍTICAS PÚBLICAS

    Um dos objetivos da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica, lançada em agosto de 2012, é ampliar o número atual de 200 mil para 300 mil famílias envolvidas com produção orgânica e em bases agroecológicas até 2014. Além disso, o governo busca incentivar o consumo desses produtos pela população.

    A Política pretende, ainda, integrar, articular e adequar políticas públicas, programas e ações indutoras da transição agroecológica e da produção orgânica, contribuindo para o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida da população, por meio do uso sustentável dos recursos naturais e da oferta e consumo de alimentos saudáveis.

    Dessa forma, com essas ações, o Ministério do Meio Ambiente espera reduzir o uso de agrotóxicos e aumentar os índices de conservação da agrobiodiversidade, além de tratar-se de mais um instrumento público que busca construir agenda sustentável para a sociedade brasileira.

    VERÃO MAIS SAUDÁVEL

    O Ministério do Meio Ambiente, que fomenta a produção de alimentos sem o uso de agrotóxicos, destaca alguns pontos para incentivar o consumo de orgânicos neste verão.

    Confira, a seguir, dez motivos para consumir produtos orgânicos (fonte: Portal Ambiente Brasil)

    1. Evita problemas de saúde causados pela ingestão de substâncias químicas tóxicas;

    2. Alimentos orgânicos são mais nutritivos. Solos ricos e balanceados com adubos naturais produzem alimentos com maior valor nutritivo;

    3. Alimentos orgânicos são mais saborosos. Sabor e aroma são mais intensos – em sua produção não há agrotóxicos ou produtos químicos que possam alterá-los;

    4. Protege futuras gerações de contaminação química. A agricultura orgânica exclui o uso de fertilizantes, agrotóxicos ou qualquer produto químico e tem como base de seu trabalho a preservação dos recursos naturais;

    5. Evita a erosão do solo. Através das técnicas orgânicas tais como rotação de culturas, plantio consorciado, compostagem, etc., o solo se mantém fértil e permanece produtivo ano após ano;

    6. Protege a qualidade da água. Os agrotóxicos utilizados nas plantações atravessam o solo, alcançam os lençóis d’água e poluem rios e lagos;

    7. Restaura a biodiversidade, protegendo a vida animal e vegetal. A agricultura orgânica respeita o equilíbrio da natureza, criando ecossistemas saudáveis;

    8. Ajuda os pequenos agricultores. Em sua maioria, a produção orgânica provém de pequenos núcleos familiares que tem na terra a sua única forma de sustento. Mantendo o solo fértil por muitos anos, o cultivo orgânico prende o homem à terra e revitaliza as comunidades rurais;

    9. Economiza energia. O cultivo orgânico dispensa os agrotóxicos e adubos químicos, utilizando intensamente a cobertura morta, a incorporação de matéria orgânica ao solo e o trato manual dos canteiros. É o procedimento contrário da agricultura convencional que se apoia no petróleo como insumo de agrotóxicos e fertilizantes e é a base para a intensa mecanização que a caracteriza;

    10. O produto orgânico é certificado. A qualidade do produto orgânico é assegurada por um Selo de Certificação emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e garante ao consumidor estar adquirindo produtos mais saudáveis e isentos de qualquer resíduo tóxico.
    Artigo do site do Ministério do Meio Ambiente

    3 comentários:

    1. Olá amiga vim retribuir a visita.Na minha casa tenho uma horta e cultivo alface tempeiros,repolho,couve e outras hortaliças da época.Este ano colhemos bastante tomate que tive que fazer molho para não se perder.É outro gosto e se contar a saúde. Bjus!

      ResponderExcluir
    2. Senhora Wilma, postei um comentário sobre sua publicação anterior na semana passada, alertando a quem a lesse sobre a péssima qualidade dos grãos de trigo fornecidos pela ECOBIO, ao menos no uso como sementes. Vejo com satisfação sua.nova publicação, que não faz referências a fornecedores produtores, evitando que pessoas como eu, que utilizam as propriedades da planta para combater doenças, sejam lesadas. Além de agradecer pela providência que a senhora adotou, ouso invadir este espaço para sugerir que antes da compra de sementes vale a pena dar uma espiadela no Mercado Livre. Lá encontrei quem forneça sementes de ata qualidade, e não grãos que não se prestam ao plantio. Sai mais caro, mas vale a pena.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Prezado Sr. Anonimo, boa dia!
        Infelizmente, tenho que discordar em partes com o Sr. Uso os grãos da ECOBIO ha muitos anos e recomendo a quem interessar. Os grãos são de altissima qualidade, certificados, de excelente procedencia. Compro ha cada 2 meses as vezes menos, 1 caixa fechada. Durante esses anos, só tive problemas com a má germinação em um determinado lote. Percebi o ocorrido e, no local onde comprei, pedi para trocar a caixa na qual fui prontamente atendida e o meu cultivo de trigo organico voltou ao normal. Faço um comentário a parte, se as pessoas forem observadoras, irão notar que o crescimento do trigo são diferentes nas fazes da lua e na época de seca, ficando um pouco mais lento o crescimento e o capim não é viçoso como em outros períodos. No mais, quero alertar a quem ler o artigo, para muito cuidado com fornecedores genéricos. COMPREM DE QUEM TEM O CERTIFICADO DE PRODUTOS ORGÃNICOS E NÃO TRANSGENICOS. Lembrando que o desenvolvimento da semente organica, é diferente da convencional, pois ela não leva uma série de químicos. Também é importante os adubos usados. Eu crio minhocas e faço compostagem, se a pessoa não agregar a terra produtos que irá fornecer nutrientes para que sua planta desenvolva forte e viçosa, fica dificil. Resumindo, não é só a semente, existem outros fatores que influenciam no desenvolvimento da planta. E, para finbalizar, reforço que baseada nas informações que dei anteriormente, eu uso e continuo a usar os produtos da ECOBIO por entender que eles atendem as normas dos produtos orgânicos vigentes. Atenciosamente. Wilma

        Excluir